Visite nossa nova loja virtual

Aproveite e faça já seu pedido

A Indústria e Comércio de Vinagres e Bebidas Montes Verdes Ltda é uma empresa familiar localizada na pitoresca e turística cidade de São Pedro, 550 metros de altitude ao pé da Serra do Itaqueri, a 190 km de São Paulo.

Temos o privilégio de oferecer ao mercado nacional nosso Vinagre de Maçã Vivo MONTES VERDES, 100% natural, um produto de qualidade primorosa e nobre. Trata-se de um vinagre vivo cru, encorpado. Contém a maravilhosa mãe do vinagre que é um organismo vivo, uma substância gelatinosa cheia de bactérias acéticas, todas bem “gordinhas”, que apreciam ser bem tratadas e, por sua vez, ávidas em nos recompensar com o seu precioso líquido dourado.

Fabricado artesanalmente ao som de música clássica e suave à maneira do lendário Vermont-USA, o vinagre Montes Verdes é carregado de nutrientes e perfumes, cheio de fibras e ácidos orgânicos fundamentais. É obtido através do esmagamento da maçã in natura. O suco assim obtido sofre duas fermentações naturais consecutivas.

Em seu processo de fabricação há um tempo para sua maturação e o perfeito equílibrio de substâncias, o qual permite manter um elevado padrão de energia vital e suas qualidades extraordinárias para a saúde. Com aroma delicioso também atende aos mais exigentes paladares da boa cozinha. Não é esterilizado, pasteurizado ou microfiltrado. Não sofre aquecimento. Não tem corantes, conservantes (ele mesmo é o próprio conservante), essências ou aditivos químicos. Contém mais de 300 compostos essenciais.

Navegue no site e conheça um pouco a magnífica Medicina Popular do Vermont e os usos do vinagre de maçã vivo para a saúde, na cozinha e as maravilhosas pesquisas e estudos feitos pelo famoso médico norte-americano Dr. DC. Jarvis.

Lembramos que todo o conteúdo informativo a respeito do vinagre de maçã vivo é exposto neste site, possui carácter ilustrativo, baseados na literatura científica mundial, não significando que os mesmos sejam considerados orientações médicas.

O produto é apresentado em frascos com conteúdo de 534ml, com 5% de teor de ácido acético. O Vinagre Montes Verdes é elaborado seguindo-se fielmente as mais nobres tradições atribuídas ao vinagre de Vermont-USA, oriundos da maçã in natura da melhor qualidade.

EDITORIAL

Somos fabricantes do vinagre de maçã vivo MONTES VERDES. A empresa: Indústria e Comércio de Vinagres e Bebidas Montes Verdes Ltda, se localiza no simpático município paulista da Estância turística de São Pedro, distante 5 km da Estancia Hidromineral de Aguas de São Pedro.

O vinagre de maçã Montes Verdes é um vinagre de maçã vivo, 100% natural, cru, encorpado, nobre, de alta qualidade. Fabricado a partir do esmagamento de deliciosas maçãs in natura. Contém a maravilhosa mãe do vinagre.

Trata-se de um vinagre fabricado artesanalmente, carregado de nutrientes e perfumes, cheio de fibras e ácidos orgânicos fundamentais. Não é pasteurizado ou microfiltrado. Não sofre aquecimento. Não tem corantes, conservantes, essências ou aditivação. Em seu processo de fabricação o suco obtido sofre duas fermentações naturais consecutivas e um tempo para sua maturação e o perfeito equílibrio de substancias que lhe permite manter suas extraordinárias qualidades vitais para a saúde. Contém mais de 300 compostos essenciais.

A Mãe do Vinagre são as bactérias acéticas, que participam da transformação do vinho de maçã em vinagre, produzem uma substância mucilaginosa, gelatinosa, viscosa que se desenvolve inicialmente na superfície, mas aumentando o peso terminam por precipitar e formar a mãe do vinagre. Cada frasco vem em embalagem de 534 ml, com 5% de acidez acética. .

O Vinagre Montes Verdes mantem-se fiel à tradição dos mais nobres vinagres vermonteses e europeus para a manutenção da boa saúde e, além de uma maneira nutritiva e deliciosa de adicionar sabor para saladas, na maioria dos alimentos e até espargir pipocas, atendendo também os mais refinados paladares da boa cozinha.

O PODEROSO LÍQUIDO DOURADO, um pouco sobre sua história e pesquisas.

Porque Vinagre Vivo de Maça? Desde a antiguidade até a revolução industrial no século XIX, os alimentos eram coletados e servidos praticamente no estado in natura. Atualmente, boa parte dos alimentos industrializados estão desnaturados. A designação vinagre de maçã vivo se refere à fabricação de um produto que mantem suas características originais sem adulterações ou manipulações que alterem essa ordem natural.

Atualmente, acredita-se que existam mais de 5.000 variedades de maçãs. Ela pertence à família das Rosaceaes, gênero Malus. A maçã foi reverenciada e consagrada pelos povos como uma fruta de excelência e nobreza que tinha todos os poderes de cura. A fruta dos deuses.

A origem da maçã se perde nas noites dos tempos. Desde a antiguidade fez-se referência à maçã. Hipócrates, que escreveu mais de cem livros sobre medicina, tratava seus pacientes com vinagre de maçã 400 a.C. Era do conhecimento comum que a bebida azeda, o vinagre, tinha poderes para a prevenção e cura de inúmeras doenças e infecções. Na antiguidade o vinagre era considerado um elixir de cura universalmente conhecido e largamente utilizado pelos povos. É antibiótico, anti-inflamatório e antisséptico excelente, que combate germes e bactérias, pois, atua maravilhosamente no fortalecimento do sistema imunológico dando força, resistência muscular, ossos fortes, combatendo a fadiga crônica, equilibra o pH dos fluidos do corpo, além de tornar o sangue fino e brilhante, carregado de energia vital. No início do século XX, pesquisas feitas pelo Dr. D.C. Jarvis constataram que o vinagre de maçã vivo tem o poder de dissolver cristais de sais carbonatados, que como veremos mais adiante, são responsáveis por inúmeras doenças. Os animais foram nossos primeiros médicos. A observação de seus hábitos e a maneira com que utilizavam as ervas do campo para se curar alavancaram os primeiros passos da medicina.

As qualidades extraordinárias para a saúde do vinagre de maçã eram lendárias. Tem sido observado o uso de vinagre nas urnas egípcias já em 3000 a.C. Os babilônios usaram o vinagre, além de seu reconhecido poder de cura, como condimento e conservante, enquanto o exército de Julio César usou-o como um tônico revigorante para manter seu exército saudável e livre da doença e da fadiga, e para cuidar dos ferimentos devido as constantes guerras. Os gregos e os romanos sempre levavam em suas embarcações e tropas de campo barris de vinagre. Foi usado desde os tempos bíblicos, como um antisséptico e um agente de cura. Ele era o primeiro tratamento na desinfecção dos ferimentos. Havia citações correntes na época em Roma que se referiam aos “homens bebedores de vinagre”, os quais eram imunes às doenças e parecia não envelhecer. Na China, uma das regiões onde a maçã é nativa, o vinagre era de uso comum nas comunidades. Por séculos no Japão e na China, os temidos guerreiros samurais e os antigos mestres do Templo Shaolin também já conheciam os poderes de cura, fortalecimento físico do vinagre de maçã. Era usado como um tônico para o corpo e para alma.

Na mitologia nórdica, conta-se que quando os heróis entravam em Walhala, o paraíso da mitologia germânica, lhes era oferecida uma maçã com o poder de conferir beleza, força e juventude eternas. Diz-se ainda que aquele que encontra uma maçã entre 25 de dezembro e 6 de janeiro terá a alegria de ver transformar-se em ouro. Na mitologia grega a maçã é o símbolo do amor (a maçã de Afrodite). Na mitologia cristã a maçã é o símbolo do pecado original, o fruto da árvore do conhecimento que Adão e Eva não tinham o direito de provar e por causa do qual foram expulsos do paraíso. Na Idade Média, o menino Jesus era frequentemente representado sentado sobre os joelhos da Virgem Maria, com uma maçã na mão para simbolizar o Universo.

O grande navegador catalão Cristóvão Colombo e sua tripulação quando fez sua famosa viagem para descobrir a América, em 1492, levaram seus barris de vinagre para a prevenção do escorbuto como fizeram também os soldados na Guerra Civil Americana. Em Paris, durante a Idade Média, o vinagre era vendido nas ruas, levado em barris, como um desodorante corporal, tônico de cura e como bebida refrescante. Nessa mesma época, a peste negra devastou a Europa. Conta-se que volta de 1721, ela grassava feroz em Marselha. Poucas pessoas que ficaram na cidade conseguiram sobreviver. O cheiro terrível dos corpos expostos não enterrados era ainda outra preocupação, pois não havia quem os retirasse das casas e os levasse para longe dali para serem enterrados. As autoridades então decidiram, em troca, libertar das prisões, os condenados para executarem a dura tarefa. Qual não foi a surpresa, quando quatro ladrões temidos por praticarem assaltos e crimes nos lugares infectados pela peste, saqueando casas e o comércio, após semanas do mórbido trabalho foram os poucos que sobraram incólumes. Em troca da liberdade foi-lhes exigido que explicassem o segredo da sua imunidade. Alegaram que sabiam preparar uma mistura de alho macerado com vinagre e a usavam antes de iniciarem suas incursões. Enxaguavam a boca, passavam pelo corpo, além de limpar as feridas e desinfetar as mãos que tinham tocado qualquer coisa infectada, dessa maneira, segundo eles, conseguiam executar o trabalho sem se contaminarem. Ainda hoje na França é vendido um tônico famoso chamado “Vinagre dos Quatro Ladrões”.

Descobrira-se que o vinagre era um conservante e um remédio universal. Os legumes submersos neste maravilhoso líquido conservavam suas cores frescas e mantinham sua consistência. O peixe e a carne ainda eram comíveis bem depois do tempo suficiente para seu apodrecimento. As feridas purulentas tratadas com o vinagre começaram a sarar rapidamente. Era um alívio para populações que não podiam contar com muita outra ajuda. O vinagre era de uso comum, todo mundo conhecia suas propriedades, sabiam como fabricá-lo em casa e mantinham sempre uma reserva para as emergências do dia a dia. Sim! O vinagre era conhecido e reverenciado pelas comunidades que o utilizavam largamente para um sem número de aplicações. Ele faz parte da história da nossa civilização e sempre acompanhou o homem em sua trajetória de paz e guerra.

A palavra vinagre quer dizer vinho acre ou azedo. Muito embora o vinagre de uma forma geral possa ser feito à partir de quase qualquer líquido moderadamente adocicado, os melhores benefícios para a saúde são atribuídos ao vinagre de maçã vivo, sem sombra de dúvidas. O vinagre de maçã empresta da maçã suas qualidades extraordinárias, pois a maçã é considerada uma das mais poderosas frutas conhecidas. O vinagre que mais se aproxima dos benefícios do vinagre de maçã é o feito de uvas.

Já na década de 1930, o lendário médico vermontês, o Dr. DC. Jarvis, querido pelo povo ao escrever livros de medicina popular ficou famoso ao divulgar suas experiências e observações com o vinagre de maçã vivo, que é um item importante na Medicina Tradicional Vermontesa. O Vermont é um estado americano a noroeste dos Estados Unidos, divisa com o Canadá. O Dr. Jarvis repopularizou o uso de vinagre de maçã no mundo ocidental. Escreveu vários livros de medicina popular, o mais famoso deles foi o Best Seller “Folk Medicine - A Vermont Doctor`s Guide to Good Health”, em português: “O Guia Médico Vermontês para a Boa Saúde”, que o tornaria muito popular nos Estados Unidos. O livro foi editado, em português, no Brasil, em 2010, pela Editora Montanhas Verdes.

Assim, não é exagero afirmar que a cura para uma série de males pode estar num dourado, singelo, mas poderoso líquido dourado que na maioria das vezes nos passa despercebido: vinagre de maçã vivo. Ele constitui hoje uma alternativa maravilhosa para a manutenção da saúde e para o tratamento de inúmeras doenças; retarda o envelhecimento precoce provocado, principalmente, pela esclerose dos tecidos e radicais livres favorecendo a longevidade e uma boa qualidade de vida. Talvez, por essa razão e outras que ainda não podemos saber é que o vinagre de maçã tenha esse carisma, simpatia e goze de seu status como uma bebida extraordinária e única.

Distribuidor

Trabalhe conosco!